Mesmo na pandemia, Paraná cria perto de 10 mil empregos em julho

Mesmo na pandemia, Paraná cria perto de 10 mil empregos em julho

Perto de três mil mortes, sendo quase mil só em Curitiba, pela covid-19, o Paraná continua em posição de destaque no combate à pandemia do novo coronavírus. Com recursos aplicados na área da saúde, o governador Ratinho Junior procurou manter também investimentos em áreas essenciais, principalmente na geração de empregos, já que a pandemia tirou muitas pessoas do mercado de trabalho e levou vários pequenos e médios empresários a amargar enormes prejuízos.

O governador disse que o Paraná criou 8.833 empregos com carteira assinada em julho, um incremento de 214% em relação a junho, quando foram abertas 2.829 vagas. O desempenho é o quarto melhor do País, atrás apenas de São Paulo (22.967), Minas Gerais (15.843) e Santa Catarina (10.044).

Segundo o governador, os números apontam para o início da retomada da economia paranaense, mesmo com as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. “O resultado é muito bom e reflete a força e potencial do Estado. Um Paraná inovador e trabalhador. O Governo está tomando todas as medidas para que a economia volte a acelerar, gerando emprego e renda para os paranaenses”, afirmou.

O caminho para a retomada do crescimento passa por investimentos públicos e privados, ressaltou Ratinho Junior, destacando que a segurança institucional do Estado e a força do agronegócio contribuem com a melhoria desse cenário. “Adotamos várias medidas para não parar o sistema econômico, ao mesmo tempo em que tomamos o cuidado com as recomendações de órgãos da saúde”, disse.

Os setores que mais se destacaram em julho foram da indústria de transformação, com 6.502 empregos criados. Na sequência, destaque para a construção civil (2.003 vagas), comércio (1.250), agricultura (390) e serviços industriais e de utilidade pública (58). Apenas o setor de serviços apresentou resultado negativo, fechando 1.370 postos.