Geral Justiça

O empresário que sempre consegue escapar da prisão

empresário Sebastião Figueiroa

Reportagem publicada em 30 de julho de 2020 revelou o nome de dois alvos da Operação Rip Stop da polícia civil: o do empresário Sebastião Figueiroa e de sua mulher Fabiana Rabin. Segundo investigadores, Figueiroa é o líder da organização acusada de desviar R$ 132 milhões por meio de contratos fraudulentos com prefeituras pernambucanas.

Relembre a matéria de Ricardo Antunes:

Dois dos alvos da Operação de hoje (30) da Polícia Federal são o empresário Sebastião Figueiroa e sua mulher e ” laranja” Fabiana Rabin. Ela estava lotada no gabinete do deputado Wanderson Florêncio PSC. O Draco, e agora a Polícia Federal, já pediram a prisão do empresário e sua mulher. A justiça pernambucana mais uma vez negou.

O pedido anterior fora feito pelo Draco, por ocasião da deflagração da Operação RipStop, que investiga contratos do mesmo empresário com a Prefeitura de Petrolina. O fato é que Sebastião Figueiroa, e sua companheira, Fabiana Rabin, tem histórias que pouca gente sabe nos bastidores da política local.

Ele atua em praticamente todos os municípios, além de ser amigo íntimo de vários deputados estaduais, federais e dezenas de prefeitos. Pelas mãos de Figueroa passaram, de uma forma ou de outra, mais de R$ 130 milhões de reais em um esquema de fraudes em licitações que dura mais de 10 anos.

Realmente é muito, mas muito poder. Dizem que se ele falar, o mundo político de Pernambucano viria abaixo. Faz sentido.

Entenda o caso e clique nos links para saber mais:

Sebastião Figueiroa, apontado como chefe da Orcrim pela Polícia Civil, conseguiu botar diversos parentes como laranjas de suas empresas. Sua atual companheira, Fabiana Rabin estava lotada no gabinete de Wanderson Florêncio (PSC), que abrigava também Yanara Cristina Batista Feitosa, (mulher do ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Antonio Figueiroa) e Rayssa Silva de Siqueira (filha de Luciana Aragão Silva, que é sócia da empresa de fachada AJS, empresa alvo das Operações Casa de Papel, da Polícia Federal e RipStop, do DRACO).

Já o deputado estadual bolsonarista, Joel da Harpa (PP), mantinha em um cargo comissionado em seu gabinete, ninguém menos que Fábio Rabin, o irmão da atual companheira de Sebastião Figueiroa.

Hoje, quinta-feira (30), a polícia realizou busca na Alepe, para apurar contratos da casa com Sebastião Figueiroa. A operação, nomeada de “Coffee Break” apura propinas em licitações de R$ 40 milhões na Assembleia de Pernambuco, e é um desdobramento da Operação Casa de Papel.

Deixe uma resposta